Polícia Civil divulga reprodução simulada facial de “Zé do Valério” produzida pela Pefoce

A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), por meio da Delegacia Municipal de Pedra Branca, divulgou nesta segunda-feira (13) a reprodução simulada facial de José Pereira da Costa, mais conhecido como “Zé do Valério”. Ele é suspeito de cometer o homicídio que vitimou a universitária Daniele de Oliveira Silva (20), no dia 24 de abril deste ano, na localidade de Sítio São Gonçalo, em Pedra Branca, Área Integrada de Segurança 20 (AIS 20). São duas imagens, desenvolvidas pela Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce), com base em uma fotografia onde o homem aparece, sendo que, em uma, o infrator aparece sem barba e com a cabeça raspada e, na outra, Zé do Valério está barbudo e utiliza chapéu.

A delegada Anarda Araújo, titular da Delegacia de Pedra Branca, informou que, segundo o trabalho de apuração, “Zé do Valério” estaria com a cabeça raspada e sem barba, características utilizadas na construção de uma das imagens divulgadas nesta segunda.

As buscas ao suspeito seguem intensas e empregam equipes da própria delegacia de Pedra Branca e também da Municipal de Quixeramobim, da Regional de Senador Pompeu, e dos Comandos Tático Rural (Cotar) e do Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (CPRaio) – da Polícia Militar do Ceará (PMCE). O trabalho tem contado ainda com o auxílio de equipes da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) – da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS-CE).

Denúncia

A população pode contribuir com as investigações repassando informações que possam auxiliar os trabalhos policiais. As denúncias podem ser feitas pelo número 181, o Disque Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), para o (88) 3515-1599, da Delegacia Municipal de Pedra Branca, ou ainda para o número (88) 99947-1321, que é o WhatsApp do Delegacia, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem. O sigilo e o anonimato são garantidos.

Núcleo de Perícia Externa (Nupex)

O trabalho de “Representação Facial Humana”, também conhecido por “retrato falado”, é um desenho artístico realizado a partir do relato de testemunhas ou de uma imagem capturada por câmeras de vídeo ou imagem estática, mas que de algum modo não seja capaz de mostrar com nitidez ou detalhes de elementos importantes para identificação do rosto do indivíduo que se deseja representar.

De acordo com o desenhista profissional que realiza a reprodução facial humana no Núcleo de Perícia Externa (Nupex) da Coordenadoria de Perícia Criminal (Copec) da Pefoce, no caso do “Zé do Valério”, procurado por crimes cometidos em Pedra Branca, a Perícia recebeu uma imagem que mostrava parcialmente o rosto do suspeito. Então, a partir de técnicas de desenhos foi feita uma reconstrução facial com métodos específicos de linhas de projeção, linhas faciais e plano de rebatimento de desenho em um software. Após o desenho da projeção facial completa foi possível reconstruir o rosto do suspeito para que se tivesse uma projeção frontal de sua face.

Conforme o especialista, o desenho artístico não reproduz com 100% de certeza um rosto humano, mas a partir dele é possível se aproximar bastante de padrões de rostos e suas características principais. Em muitos casos em que o desenho é feito a partir de um relato, o material finalizado é apresentado para as testemunhas que presenciaram o suspeito para que elas aprovem o desenho.

SSPDS