79% da população de Canindé aprovam o governador Camilo Santana, e 40% aprovam Jair Bolsonaro

Pesquisa do instituto RealTime Big Data aponta que a candidata Rozário Ximenes (DEM), atual prefeita, lidera a disputa para a Prefeitura de Canindé, com 48%.

Em segundo lugar das intenções de votos aparece o candidato Luiz Damião (PL), com 23%.

Em seguida estão os candidatos Berguim Construtor (PC do B), com 2%, Higino (MDB) com 2%, Irineu de Freitas (PMB) com 1%, e Padre Adelmo (PTC) também com 1%. Não sabe ou não responderam é de 13%. Brancos e nulos somam 10%. O nível de confiança do levantamento é de 95%, com margem de erro de 5 pontos percentuais para mais ou para menos.

O levantamento foi contratado pela Draco Comunicação e registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número de identificação CE-01033/2020. 

Foram entrevistadas 400 pessoas, por telefone, entre os dias 04 a 06 de novembro.

Votação espontânea

Rozário Ximenes também lidera com 35%, em seguida aparece Luiz Damião com 19%, outros com 3%. Brancos e nulos somam 13%. Não sabe ou não responderam são 30%.

Na pesquisa espontânea, não são apresentados nomes dos candidatos e o entrevistado fala o que lhe vem à cabeça quando é questionado em quem pretende votar. Já na pesquisa estimulada é quando são apresentados, ao entrevistado, as opções de candidatos.

Aprovação

Quando o assunto é avaliação do governador Camilo Santana, 79% da população canindeense aprovam a forma de governar de Camilo, 19% desaprovam, e 2% não sabem ou não responderam.

A prefeita Rozário, que lidera a pesquisa tem 53% de aprovação, e 33% desaprovam. Já avaliação do presidente Jair Bolsonaro em Canindé, 40% aprovam e 49% desaprovam.

Rejeição

Higino lidera com 23%, Rozário tem 16%, professor Luiz Damião 14%, Padre Adelmo 5%, Irineu de Freitas 4%, e Berguim Construtor 3% de rejeição. Dos pesquisados 11% rejeitam todos os candidatos. Não rejeitam nenhum 21%, e não souberam ou não responderam somam 3%.

Contra a pesquisa

A coligação do candidato Luiz Damião, tentou liminarmente na justiça, impedir a publicação da pesquisa de intenção de votos, mas a Justiça Eleitoral negou nesta segunda-feira (09), o pedido da coligação.